Total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Tudo o que você queria saber sobre doação de órgãos mas tinha medo de perguntar

Amigas!!!!


Vamos falar sério!!!
Dia 27 de setembro, foi o dia nacional da doação de órgãos no Brasil.
Eu, por motivos particulares, tenho por hábito promover a veiculação de informações e orientações sobre doação de órgãos para esclarecimentos.
A falta de informação e preconceito ainda são os principais fatores que limitam o número de doações, impedindo que muitas vidas sejam salvas.
Abaixo segue as principais dúvidas e esclarecimentos sobre as doações de órgãos no Brasil

Confira:


Doação de órgãos: Mitos e verdades

Para ser um doador, basta conversar com seus familiares e amigos sobre seu interesse.

Para ser um doador, não é necessário deixar nada por escrito em nenhum documento?

Verdade. Para ser doador basta avisar os familiares de primeiro ou segundo grau (pai, filho, irmãos, avós, cônjuges), pois serão eles que assinarão o documento autorizando a doação dos órgãos e tecidos.

A doação deixa o corpo deformado?

Mito. Os órgãos e tecidos doados são removidos por meio de uma cirurgia. Portanto, a doação não desfigura o corpo.

A doação de órgãos beneficia muitas pessoas?

Verdade. Um único doador de órgãos e tecidos pode beneficiar pelo menos 10 pessoas que aguardam por um transplante de órgão ou tecido.

Após a doação de órgãos o corpo precisa ser sepultado em caixão lacrado?

Mito. O corpo pode ser velado ou cremado normalmente e não precisa de nenhum preparo especial a não ser que seja levado a lugares mais distantes, como outras cidades, estados ou países.

Quase todos os órgãos e tecidos do corpo podem ser doados?

Verdade. Os órgãos e tecidos podem ser doados são: coração, pulmão, fígado, rins, pâncreas, intestinos, pele(camada superficial), ossos, válvulas cardíacas, córneas.

A família do doador precisa arcar com os custos relacionados à doação?

Mito. O doador ou sua família não tem custos nem ganho financeiro com a doação dos órgãos ou tecidos.

A grande maioria das religiões é favorável à doação?

Verdade. Todas as religiões pregam os princípios de solidariedade e amor ao próximo, que são as principais características do ato de doar. Até mesmo as religiões que são contrárias À transfusão de sangue não interferem na decisão de doação de órgãos.

Idosos ou pessoas que já tenham tido alguma doença não podem ser doadores?

Mito. Todas as pessoas podem ser consideradas potenciais doadoras, independente da idade ou histórico médico. O que determinará a possibilidade de transplante e quais os órgãos e tecidos que poderão ser doados. Isso é realizado por meio de uma avaliação do falecido por meio de exames clínicos, de imagem e laboratoriais no momento da morte.

Quem tem maiores condições financeiras passa na frente na fila para receber um órgão?

Mito. Todos os cidadãos brasileiros, independente da classe social ou condições financeira, são selecionados por compatibilidade com o doador e ordem de urgência. O procedimento é feito por um programa de computador seguro que impede fraudes. Para a Central Unica de transplantes não existe pobres, ricos, brancos, negros nem ideologias religiosas.

Quem recebe um órgão de uma pessoa passa a se comportar como o falecido?

Mito. O órgão não traz consigo nenhuma característica estética ou emocional do doador. A pessoa que recebe um órgão terá apenas a melhoria da sua qualidade de vida.

É possível que um paciente em morte encefálica volte a viver?

Mito. A morte encefálica é irreversível, sendo atestada por dois médicos diferentes, seguindo os critérios do Conselho Federal de Medicina, que tem a finalidade de comprovar a ausência de reflexos do tronco encefálico (cérebro), através da realização de dois exames clínicos e um teste gráfico. Somente nesta condição é possível a doação de múltiplos órgãos.


Doar órgãos é um ato de amor... Amor ao próximo, amor à vida!

Pense nisso!

Beijos da KIKI

Nenhum comentário:

Postar um comentário