Total de visualizações de página

sábado, 11 de maio de 2013

A irreversibilidade da maternidade

Queridas Amigas,

Que mulher ainda não descobriu que ser mãe está acima de todas as coisas?



 Enfim, demora-se a descobrir, mas quando isto acontece vem com a intensidade de um torpedo!!!!! Sim amigas... Quando “a ficha cai”, percebe-se quanta responsabilidade estávamos ignorando e quanto é complexo este negócio de ser mãe.
Quando escolhemos ser mãe, estávamos ali brincando de casinha, na casa dos vinte anos e que o filhinho que esperávamos seria um fofucho que viria “coroar” uma família perfeita.
Simples assim... Como roteiro de novela ou comercial de manteiga.
Então seguíamos com a nossa vidinha, sem prestar muita atenção nas coisas que dizíamos e fazíamos. Você sabe dizer, por exemplo, em que dia que nasceu aquele complexo no seu filho?
Poderia apontar quando foi que a sua filhota começou a engordar morbidamente?
Quando o seu filho adolescente começou a se trancar dentro do quarto e parou de falar com o resto do mundo?
Sei lá... A gente estava tão ocupada em viver a nossa fantasia que faltou um olhar investigativo na própria historinha. Só percebemos que algo deu errado quando um dia a gente repara que o querido filhote surgiu sabe-se lá de onde, com os olhos vermelhos, falando besteira e rindo pra chuchu...
PERAÍ!!!!! Então não fui uma boa mãe?????
“É isso que você ta querendo dizer? Meu filho teve de tudo, casa, comida e conforto! Estudou nas melhores escolas, fez escolinha de futebol, natação e vôlei, foi até de excursão para a Disney!!!!” Ser mãe é parir, dar casa, comida e conforto, mas ser UMA MÃE DE SUCESSO a gente só vai ter certeza disso quando o rebento tiver mais de 20 anos.... Aí é que poderemos medir se a nossa empreitada deu certo.



Ser mãe dá um medo danado!!!!!!!!
Como saber intervir nos momentos exatos, dar o peso certo aos acontecimentos, ser assertiva nos ensinamentos e ajudar este “ser” que a gente gerou a virar um homem independente, responsável, e de bem com a vida? Como responder as suas perguntas, esclarecer suas dúvidas, interpretar suas atitudes e aceitar suas escolhas sem preconceito e com honestidade? Como administrar seus fracassos e dores sem provocar traumas profundos?
Penso eu que com amor... Muuuitoooo amor!!!!!! Amor e responsabilidade por aqueles seres que criamos, prestando atenção nas nossas atitudes, nas palavras que dizemos e no lar que preparamos para eles viverem. Devemos estar sempre atentas porque somos formadoras de opinião e principalmente formadoras de caráter.
 Desculpe, mas tenho que fazer uma revelação... Ser mãe é IRREVERSÍVEL!!!!!!
 Se o filho nasceu com defeito, se ficou aleijado, se drogou ou não “virou nada que preste”, a gente NÃO PODE JOGAR FORA!!!!!!!!!!
Vai estar com a gente para o bem ou para o mal! Filho não é marido e não é amigo... E é pensando nesta irreversibilidade é que devemos pensar em que tipo de mãe gostaríamos de ser... Só para sermos as melhores!
A maternidade é mesmo uma missão.
E é para todas as missionárias deste mundo que eu mando um beijo cheio de solidariedade.
Parabéns mamães!
KIKI POUCAGRANA
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário